Header Ads

ad

Colisão entre ônibus deixa trânsito lento

APESAR do impacto, ninguém
se feriu gravemente

Um acidente envolvendo três veículos deixou o trânsito lento na avenida Cruz Cabugá, em Santo Amaro, área central do Recife, no início da manhã de ontem. O motorista que dirigia o ônibus de placa KIZ-9408, da empresa Caxangá, que fazia a linha Circular (Prefeitura), perdeu o controle nas proximidades do Shopping Tacaruna, em Santo Amaro, e passou por cima das placas de concreto. Assim, atingiu um ônibus da empresa Cidade Alta, de placa KJP-7685, da linha Paulista (Conde da Boa Vista), que trafegava no sentido Olinda, além de um Gol de cor chumbo, de placa KLF-5059, que também seguia no sentido Centro do Recife.

Mesmo diante do forte impacto, que deixou a frente do ônibus da Caxangá totalmente destruída, o condutor, que não quis ser identificado, teve apenas ferimentos leves nas pernas. Segundo relatos de passageiros, o motorista teria contado que tentou livrar de um motoqueiro e como a pista estava molhada, não conseguiu controlar o ônibus.

O vigilante Genivaldo dos Santos, 64, que estava no mesmo coletivo, bateu com a cabeça e levou um ponto, mas saiu do local andando. Ele falou que nem teve tempo de entender o que aconteceu. “Não consigo nem explicar, de tão rápido que foi”, contou. O motorista do Gol foi o sargento da PM Suelimar Soares Nunes. Ele não ficou ferido. “Não tive como parar o carro. Foi muito rápido”. Já no ônibus que vinha no sentido contrário, embora a pancada te­nha deixado um grande estrago, só havia cinco passageiros, mas ninguém se feriu.

Por causa da demora na retirada do ônibus da empresa Caxangá do meio da via, uma faixa do sentido Recife estava prejudicada, além de duas faixas do sentido Olinda, o que deixou o trânsito fluindo lentamente no trecho. A diferença é que no sentido Recife a lentidão foi por conta dos curiosos que passavam observando a batida.
A situação só foi complicada na hora da retirada do veículo, por volta das 8h30, quando tiveram que interditar os dois sentidos durante 15 minutos, liberando logo em seguida. De acordo com informações repassadas pelo Instituto de Criminalística (IC), não foi realizada perícia no local, pois o acidente não te­ve envolvimento com veículos oficiais, nem teve vítima fatal ou socorrida, que são os critérios para que houvesse.

Por WAGNER SANTOS
Jornal Folha de Pernambuco
Postar um comentário