Reunião discute funcionamento do Metrô do Recife durante greve

Sindimetro, TRT e CBTU se reúnem na tarde desta quarta.
TRT determinou que 30% do serviço deve acontecer em todos os horários.

Do G1 PE


Na tarde desta quarta-feira (16), o Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindimetro-PE) irá se reunir com representantes do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) para discutir o funcionamento do Metrô do Recife durante a greve. Os metroviários vão propor que, durante a paralisação, os trens passem a circular das 5h às 8h30 e das 16h30 às 20h, correspondendo a um terço do expediente. O TRT determinou, na quarta-feira, que manutenção de 30% do serviço deve acontecer mesmo fora do horário de pico.

Na noite da terça-feira (15), o Sindimetro afirmau que o movimento continua com paralisação de 100%.  De acordo com informações da CBTU, 153 maquinistas e supervisores estão operando nos horários das 5h às 9h e das 16h às 20h. Fora desses intervalos, os trens não circulam e as estações ficam fechadas.

De acordo com o presidente do Sindimetro, Lenival Oliveira, a proposta do TRT é para que o Metrorec opere com 50% de sua capacidade nos horários de maior movimento e 30% nos outros horários. "A gente sabe que se colocar 50% no horário de pico vai ter confusão. Atualmente, com 14 trens, já temos alguns problemas e superlotação, imagine se reduzir pela metade, só com sete? Achamos melhor colocar todos os vagões para funcionar nesses horários e fechar as estações fora do horário de pico", disse. A linha Diesel, que liga a Estação Cajueiro Seco ao centro do Cabo de Santo de Agostinho, no Grande Recife, não está funcionando em nenhum horário durante a greve.

De acordo com a assessoria de comunicação da CBTU-Metrorec, o órgão também concorda que o melhor modelo de funcionamento do metrô durante a greve é o que já está acontecendo. Entrentanto, será pedido ao TRT e ao Sindicato que pelo menos 50% dos funcionários da manutenção voltem ao trabalho para otimizar o serviço. A reunião acontece às 14h, na sede do TRT, no Cais do Apolo, Bairro do Recife.

Negociação
De acordo com Sindimetro, ainda não houve nenhum tipo de negociação a respeito das reivindicações dos trabalhadores, como questões salariais. "A empresa [CBTU] não enviou nenhuma proposta, até porque não foram nem autorizados pelo Governo Federal. O que a gente tem ainda é que eles continuam com a mesma proposta,  de congelamento dos salários. Não tivemos outra alternativa, a não ser a greve", falou Lenival Oliveira.

O Metrorec informou que as negociações continuam, a passos lentos, em Brasília, junto aos ministérios da Fazenda e do Planejamento. Ainda não há previsão de um acordo com os metroviários. No âmbito local, as reuniões com o sindicato serão sempre para otimizar o serviço durante a paralisação.

Nacional
A paralisação, decretada por tempo indeterminado, começou na segunda-feira (14). A redução do expediente deve afetar 260 mil passageiros. A greve dos metroviários atinge outras capitais, como Maceió (AL), João Pessoa (PB), Natal (RN) e Belo Horizonte (MG).

Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.