Uchoa lança pedra fundamental de novos prédios do Legislativo


Clique na imagem para vê-la em seu tamanho originalO presidente da Assembleia, deputado Guilherme Uchoa (PDT), faz, hoje, às 11h, o lançamento da pedra fundamental dos dois novos prédios da Assembleia Legislativa de Pernambuco. Os edifícios foram projetados pelo arquiteto Carlos Fernando Pontual, e serão executados pela Construtora Pottencial, de Pernambuco. De acordo com o superintendente-geral da Alepe, Marcelo Cabral, o prazo para a conclusão do trabalho, orçado em R$ 36,3 milhões, é 18 meses.

No local, na Rua da União, o deputado Guilherme Uchoa; o primeiro-secretário, deputado João Fernando Coutinho (PSB); e o arquiteto Carlos Pontual detalharão as melhorias que as novas instalações trarão ao trabalho do Parlamento Estadual. Além disso, como forma de marcar a importância da obra, o Poder Legislativo decidiu depositar uma Cápsula do Tempo, próximo à pedra fundamental. A intenção é oferecer às futuras gerações uma amostra de como se encontrava Pernambuco à época da construção dos novos edifícios.

Para isso, uma urna de bronze, contendo cópias de jornais do dia como o Diário Oficial do Estado, além de documentos, a exemplo da Constituição Estadual e do Regimento Interno da Casa, serão depositadas no terreno. A expectativa é que a cápsula seja aberta em 2032. Para garantir a preservação do material, contudo, a Assembleia Legislativa se preocupou em revestir os exemplares com papel alcalino. A urna, por sua vez, será colocada dentro de uma caixa de madeira nobre.

Ainda no evento, um representante da família do ex-primeiro-secretário da Casa, deputado João Negromonte, morto em novembro de 2008, realizará o descerramento da pedra fundamental e se pronunciará sobre a iniciativa da Alepe de nomear um dos prédios de Edifício Deputado João Negromonte. A outra edificação será o Novo Plenário. A conclusão da cerimônia se dará no Salão Nobre do Palácio Joaquim Nabuco, onde será descerrada a maquete da obra.

Estrutura - Em um dos prédios funcionarão o Plenário, três plenarinhos, auditório, estacionamento e salão de festas - com capacidade para aproximadamente 200 pessoas. O segundo edifício será paralelo e gêmeo ao atual Anexo I, com seis andares, onde se localizarão os gabinetes dos deputados, a Presidência e a Primeira Secretaria. Depois da construção dos dois novos edifícios, o anexo I passará a abrigar a área administrativa da Casa.

Além da construção de espaços mais adequados às necessidades atuais de trabalho, dois outros aspectos são importantes na obra. O primeiro, lembra Marcelo Cabral, é a preservação do Palácio Joaquim Nabuco, construído no século 19, hoje catalogado como museu e patrimônio histórico de Pernambuco. Sua estrutura secular requer controle quanto ao fluxo de pessoas. “Vamos reservá-lo para visitações e reuniões solenes”, explicou. O segundo é a devolução de imóveis, hoje alugados, a partir da criação de espaços próprios.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.