Header Ads

ad

Contra-ataque da CNB sairá após Costa deixar a PCR

(Foto: Nathália Bormann/Arquivo Folha)

O ditado “a vingança é um prato que se come frio” parece se encaixar bem com o pensamento defendido por alguns membros das correntes petistas Construindo um Novo Brasil (CNB) e Articulação de Esquerda (AE), quando o assunto é o prefeito João da Costa. Em reserva, integrantes dessas alas revelaram que vão esperar o gestor deixar o comando da Prefeitura do Recife para, assim, voltar a questionar a sua permanência no partido.
Esse grupo entende que, enquanto João da Costa seguir como prefeito, qualquer contestação a sua atuação na campanha derrotada do senador Humberto Costa à PCR encontrão resistência dentro da legenda. Como, atualmente, o chefe do Executivo municipal detém o poder da caneta, seus aliados mais “volúveis” continuarão a empreender uma “ferrenha defesa”.
Já, no quadro com o prefeito sem o poder que detém hoje, há a esperança, para esses membros da CNB e da AE, de que o seu poder de persuasão sobre muitos dos correligionários não teria o mesmo impacto observado nos dias de hoje. “Ele não vai ser tão poderoso como é agora. Quero ver a sua força toda na planície. O barco vai virar”, atestou a fonte petista.
Na semana passada, um grupo composto por membros da AE e da CNB tentaram aprovar uma resolução de independência em relação ao futuro governo do prefeito eleito do Recife, Geraldo Julio (PSB), e iniciar a discussão sobre a possibilidade de expulsão do prefeito João da Costa. E, para variar, resultou em uma nova confusão interna que não apresentou resultado final.

Folha de PE
Postar um comentário