Empate mantém Sport vivo na luta contra degola e rebaixa o Figueirense - Portal Muito Mais - O seu portal de notícias!!!

ÚLTIMAS DO PORTAL

test banner

Post Top Ad

11 de novembro de 2012

Empate mantém Sport vivo na luta contra degola e rebaixa o Figueirense

Resultado de 1 a 1 deixa o time pernambucano a três pontos de deixar o Z-4.
 Equipe catarinense disputará a Série B em 2013

Empate ruim para ambos. Um ainda está vivo na luta, mas segue na zona de rebaixamento, enquanto o outro já está na Série B. Em duelo entre dois clubes desesperados para continuar na elite do futebol nacional em 2013, Sport e Figueirense ficaram no 1 a 1. Os 3.122 torcedores que acompanharam a partida de domingo, pela 35ª rodada, no Orlando Scarpelli, viram o Alvinegro catarinense cair para a Segunda Divisão. O rubro-negro pernambucano, assim, perde a chance de encostar de vez em Bahia e Portuguesa, primeiros times fora da zona de degola.

A luta do Leão contra o rebaixamento continua no próximo domingo contra o Botafogo na Ilha do Retiro. O confronto está marcado para as 19h30m do dia 18. O Figueira vai ao litoral paulista para cumprir tabela contra o Santos, sem mais ambições na competição. Também às 19h30m, mas de sábado, dia 17, a bola rola na Vila Belmiro.

Gilberto marca o único nos primeiros 45 minutos

Em duelo de desesperados para fugir da degola, o Figueirense teve a primeira oportunidade de marcar. O jovem Bruno Nazário, tentando aproveitar a chance de assumir a camisa 10 alvinegra com as contusões de Ronny e Fernandes, quase marcou em finalização de dentro da área aos cinco minutos. Sozinho, recebeu lançamento de Doriva em condição legal, matou no peito, mas bateu em cima do goleiro Saulo, que não teve dificuldades para fazer a defesa. Mais tarde, daria belo passe para Aloisio invadir a área, mas o lance havia sido invalidado pelo auxiliar por posição ilegal.

Guilherme Lazaroni figueirense e hugo sport (Foto: Petra Mafalda /Agência Estado) 
Sport e Figueirense empatam em Florianópolis (Foto: Petra Mafalda /Agência Estado)
 
Antes dos 10 minutos, Felipe Azevedo levaria perigo à meta de Wilson pela primeira vez. Depois de recebe de Gilberto na entrada da área, ajeitou e bateu colocado, em busca do ângulo esquerdo do arqueiro alvinegro, que só observou a bola passar sobre o gol.
E o jogo era lá e cá. O Figueira voltou a ameaçar com chute de longe de Elsinho, lateral-direito de origem, mas jogando no meio de campo. Saulo chegou a bater roupa e ceder rebote, mas conseguiu se recuperar. Em seguida seria a vez do rubro-negro chegar com muito perigo. Hugo viu bem a penetração de Rithelly e cruzou para o volante chegar em velocidade para o cabeceio. Mas a finalização não foi precisa e a bola saiu ao lado da meta de Wilson.
Sempre uma chance para um lado, seguido por uma oportunidade do outro. A vez era do time da casa e Julio Cesar novamente não aproveitou. Na entrada da área, ganhou no corpo do zagueiro após toque de Aloisio, emendou uma bomba com a bola ainda no ar, mas pegou muito embaixo da redonda, que subiu demais.
Aos 23, Gilberto foi o único eficiente em todo o primeiro tempo. Em bela triangulação do time pernambucado, Gilsinho foi lançado, deu bonita assistência com inteligência, de peito, para o camisa 9, que não perdoou. Cara a cara com Wilson, esperou o goleiro cair para fechar o ângulo e deu um toque sutil sobre o goleiro. Um bonito gol.
Sem muitas forças para lutar, o Alvinegro catarinense se lançou ao ataque, mas sem desespero de um time que ainda tinha chances matemáticas de se salvar. Elsinho e Julio Cesar tentaram, sem sucesso, enquanto o Sport esperava as boa oportunidade para armar o contra-ataque. Depois de um escanteio cobrado pelo Figueirense, Saulo saiu de soco e proporcionou um contragolpe muito rápido. De pé em pé, o Leão chegou tocando e colocando a defesa alvinegra na roda. Cicinho foi o último a recebe e se precipitou. Bateu de longe, de canhota, mas mesmo assim levou perigo a Wilson.

— Precisamos agredir um pouco mais, chegar um pouco mais ao ataque. Temos que ter mais precisão, disse o treinador alvinegro no intervalo da partida.

Figueira iguala o marcador e resultado fica ruim para ambos

A primeira jogada de perigo no primeiro tempo foi do Sport, mas foi o Figueirense que dominou o início da etapa complementar. O lance rubro-negro, logo aos dois minutos, começou com Reinaldo em cruzamento rasteiro, que passou na frente do gol e Wilson não defendeu. Na sequência, Felipe Azevedo ainda tentou cruzar novamente, mas zaga afastou.
Então o Figueira começou a pressionar. Jogando em casa, ainda com chances, mesmo remotas, de permanecer, o time acatou as ordens do treinador Fernando Gil para atacar mais e teve duas boas oportunidades, ambas em bolas aéreas. Na primeira, Saulo defendeu após o cabeceio de Gutti, e na segundo, Aloisio, sozinho, coloca para fora.
Eis que surge Julio Cesar para igualar o placar no Orlando Scarpelli. Saulo sai mal na cobrança do escanteio de Guilherme Lazaroni e Júlio Cesar, no susto, mas sozinho, manda para o fundo das redes.
Resultado, então, ruim para as duas equipes. Somando apenas um ponto, Figueirense estaria rebaixado e o Sport a três de sair do Z-4. E o rubro-negro começou a dominar a partida. Em oito minutos, chegou com muito perigo três vezes. Felipe Azevedo em duas oportunidades. Na primeira, chutou de fora quase marcou, na segunda, acertou o alvo, colocou para dentro do gol, mas não comemorou porque o auxiliar invalidou. Estaria em posição irregular após o toque de Gilberto. Na terceira, o zagueiro Diego Ivo matou bonito de peito dentro da área, mas se atrapalhou e chutou desequilibrado e a bola tirou tinta da trave.

No fim, Wilson ainda salvou o time catarinense de perder. Na primeira, Felipe Azevedo tenta por duas vezes, e o arqueiro ficou com ela. Em seguida, aos 42 do segundo tempo, o camisa 1 espalmou um bomba do meio da rua armada por Hugo. Mesmo assim, seu time terminou rebaixado.

Do GloboEsporte.com

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner