Obama nomeará John Brennan como novo diretor da CIA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deverá nomear na tarde desta segunda-feira o agente John Brennan como o novo diretor da CIA (Agência Central de Inteligência, em inglês), a primeira de suas indicações na área de defesa para seu segundo mandato.
Brennan deverá ser confirmado no cargo após votação no Senado. Com 25 anos de experiência, o agente era cotado para assumir o posto no primeiro gabinete de Obama, em 2009, mas perdeu o posto para o atual secretário de Defesa, Leon Panetta.
Caso assuma, ele substituirá o interino Michael Morell, que ocupa o cargo desde o escândalo envolvendo o ex-diretor David Petraeus.
Seu nome, no entanto, gera desconfiança de políticos mais liberais por sua atuação com situações controversas durante interrogatórios de testemunhas no Iraque durante o governo George W. Bush (2001-2008).
Dentre as estratégias supostamente usadas pelos agentes da CIA, estavam métodos de tortura, como forçar suspeitos a colocar a cabeça em baldes com água. Ele negou as acusações e foi absolvido após sindicância interna.
Brennan será o novo responsável, dentre outras coisas, pelo programa de aviões não tripulados, que é aplicado no Oriente Médio, em especial no Iêmen e no Paquistão. O uso das aeronaves é polêmico por ser considerado por alguns governos um rompimento na soberania dos territórios do país.
SECRETÁRIO DE DEFESA
A agência de notícias Associated Press informou nesta segunda que, além da nomeação de Brennan, Obama deverá anunciar o republicano Chuck Hagel como seu novo secretário de Defesa.
Caso confirmado seu nome, o presidente terá dificuldade em aprová-lo no Senado. Hagel encontra resistência, em especial dos republicanos, por sua posição contrária a Israel e favorável a negociações com o Irã.
Ele critica a necessidade de uma intervenção militar na República Islâmica por sua ameaça em atacar o Estado hebraico e pelo programa nuclear, que desperta desconfiança dos países ocidentais. O republicano também defende a participação de Teerã nas negociações para o fim da violência no Afeganistão.
Partidários de Obama, no entanto, dizem que as críticas são infundadas, já que Hagel apoiou a assistência militar a Israel e o endurecimento das sanções ao Irã.
Caso confirmados os dois nomes, estará formada a equipe de defesa de Obama para o segundo mandato. Além de Hagel e Brennan, o presidente nomeou em dezembro o ex-senador John Kerry para o Departamento de Estado.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.