Wellington Dias rebate críticas de Aécio Neves ao governo do PT - Portal Muito Mais - O seu portal de notícias!!!

ÚLTIMAS DO PORTAL

test banner

Post Top Ad

20 de fevereiro de 2013

Wellington Dias rebate críticas de Aécio Neves ao governo do PT

Logo depois do discurso em que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) criticou os dez anos de governo do Partido dos Trabalhadores, o senador Wellington Dias (PT-PI) subiu à tribuna em nome da liderança do PT para rebatê-lo e demonstrar os avanços vividos pelo Brasil de 2003 a 2013. O período corresponde aos dois mandatos do ex-presidente Lula e à metade do mandato de Dilma Rousseff.
Em oposição aos 13 pontos nos quais Aécio apontou fracassos do PT – em referência ao número correspondente ao partido nas urnas – Wellington apresentou 45 argumentos para mostrar os avanços vistos no país, também lembrando o número do PSDB.
O representante do PT destacou, na tribuna, a aproximação entre as classes sociais e a redução da desigualdade; o impulso da educação profissionalizante e técnica; a queda da mortalidade infantil em cerca de 58%; as farmácias populares e a instalação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); a política de combate às drogas; o crescimento da política de cotas e o melhor saneamento básico.
Wellington também lembrou a integração da América do Sul e da América Latina; as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), as mais de um milhão de casas do programa Minha Casa, Minha Vida, e a recente redução nas contas de luz.
- O Brasil hoje é bem mais forte que o que herdamos. Não vamos mais de pires na mão ao Fundo Monetário Internacional. Somos um país soberano, não subalterno e periférico. Somos um país de classe média, não de miseráveis; um país que tem suas universidades abertas para pobres, negros e índios.
O senador pelo Piauí insistiu que o Brasil que servia apenas a uma pequena elite, localizada nessa ou naquela região, já não existe depois de dez anos de governo do PT. E que houve um aumento vertiginoso da classe média. Ele afirmou que há dez anos a população se dividia entre uma metade de classe média e a outra composta por pobres e miseráveis. Hoje, 84% da população seriam de classe média. E avisou que embora essa classificação social seja sempre questionada, o que importa é que a população tem mais qualidade de vida.
Declarando que a última década foi de grandes transformações, em contraponto aos anos anteriores, conhecidos como décadas perdidas, o parlamentar comparou índices como a renda per capita e o desemprego. Ele informou que em 2002 a renda per capita anual dos brasileiros era de U$ 2,8 mil. Atualmente, ela seria de U$ 13,3 mil. No mesmo período, teriam sido gerados 19 milhões de empregos formais, contra 5 milhões de vagas abertas no governo do PSDB.
- O desemprego caiu de 10,5% para 4,9% e houve aumento real de 72% no salário mínimo. Promovemos inclusão bancária e a abertura do crédito. Vemos, com grande nitidez, uma década de profundas transformações que mais que recuperou o passivo das décadas perdidas. Foi uma década de reconstrução da nação.
Agência Senado
Postar um comentário

Post Top Ad

test banner