Header Ads

ad

Sem precisar fazer muita força, Sport derrota Vitória da Conquista e se classifica

Marcos Aurélio comemora o gol com Mateus Lima e Lucas Lima.  
Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem



Não foi uma guerra, não foi uma luta. O Sport sequer precisou fazer seu melhor. Jogando na conta, o Leão derrotou o Vitória da Conquista, na Ilha do Retiro, por 2 x 0 e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil. O próximo adversário do Rubro-Negro no certame é o ABC-RN.
O primeiro tempo foi, no geral, fraco. E, pensando em particular na equipe pernambucana, expôs diversos defeitos. O primeiro deles foi a flagrante desmotivação da equipe ao entrar em campo. Os jogadores pareciam já com a cabeça no estadual, na semifinal contra o Ypiranga. E, por isso, abriu espaço para o adversário - que começou assustando com duas chances logo aos dois minutos. Numa delas, Magrão bateu roupa. Na sequência do lance, o lateral Raul chutou na rede pelo lado de fora.
O outro defeito era a marcação. Com três atacantes e um meia ofensivo, a pegada foi frouxa. Sobretudo no meio-de-campo. A saída de bola também não agradava. O Leão rifou muito no início do primeiro tempo. Aos poucos, contudo, a qualidade do time foi fazendo a diferença. Foi mudando o panorama e tornando-o mais favorável aos donos da casa. O gol de abertura saiu assim. Numa boa troca de passes do ataque, a bola sobrou para Marcos Aurélio, dentro da área. O atacante não chutou bem - mas a bola ia entrando. Antes de ultrapassar a linha, o lateral-direito Mica meteu a mão. Expulsão e pênalti. Cobrado pelo próprio camisa 10, com tranquilidade.
O gol e o pênalti mudaram tudo. Na volta da segunda etapa, o Sport voltou mais solto. Sem a pressão de abrir o placar e, principalmente, com um jogador a mais no gamado. O Vitória da Conquista não mais incomodou. Os espaços apareceram. E os jogadores do Leão também. Cicinho passou a atuar melhor, Reinaldo também, assim como Felipe Azevedo. Marcos Aurélio, apesar do gol, não fez um grande jogo. Nem Matheus Lima, como substituto de Roger.
Mas o jogo era tranquilo. Tanto que Sérgio Guedes fez experiências e substituições. Colocou Érico Júnior, Gilsinho e Felipe Menezes - testando este último como centroavante. A atuação do jogador, na nova posição, foi boa. Descontando, é claro, a fragilidade do adversário. Gilsinho produziu pouco, mas Érico Júnior aproveitou a chance que Sérgio Guedes lhe deu, quando - aos 35, completou para o gol uma jogada criada por Menezes. Foi seu primeiro tento como profissional do Sport. E sacramentava o resultado. Leão classificado.
Ficha do jogo
Sport: Magrão; Cicinho, Gabriel, Maurício e Reinaldo; Tobi, Fábio Bahia e Lucas Lima; Felipe Azevedo (Felipe Menezes) , Marcos Aurélio (Gilsinho) e Mateus Lima (Érico Júnior). Técnico: Sérgio Guedes

Vitória da Conquista/BA: Alex; Mica, Silvio, Héverton e Raul; Edmar, Júnior Gaúcho, Alessandro Azevedo e Thiaguinho (Ila); Carlos Alberto (Roni) e Cacá (Dunga). Técnico: Bira Veiga

Local: Estádio da Ilha do Retiro (Recife); Árbitro: Dewson Freitas da Silva (PA); Assistentes: Márcio Gleidson Correia (PA) e Esdras Mariano de Silva (AL); Gols: Marcos Aurélio (45 do 1T) e Érico Júnior (aos 35 do 2T) para o Sport; Cartões amarelos: Lucas Lima (Sport); Edmar e Sílvio (Vitória da Conquista); Cartão vermelho: Mica (Vitória da Conquista); Público: 3.212; Renda: R$ 24.185,00.

Fonte: Blog do Torcedor
Postar um comentário