#CPBr7: Pernambuco terá novo sistema de antenas sustentáveis para 4G

Projeto de antena instalado na Barra da Tijuca no Rio (Foto: Divulgação)
Projeto de antena instalado na Barra da Tijuca no Rio (Foto: Divulgação)
Pernambuco será um dos Estados a receber um novo tipo de antena para transmissão da conexão móvel . A Vivo anunciou na  esse novo tipo de tecnologia que tem como diferencial o fato de se parecer com um poste de luz comum e ter suas instalações eletrônicas e cabeamento subterrâneos.

Essa antena sustentável reduz o consumo de energia e a poluição visual. O maior entrave hoje para a expansão da banda larga móvel é a instalação de , que esbarram em legislações ambientais. Com o aumento da demanda de dados, ficou complicado lidar com esse panorama. O novo projeto de postes-antena começou no Rio de Janeiro, mas segundo o Ari Falarini, diretor de redes da Vivo, a ideia é iniciar “de imediato” a expansão para outras cidades.
“Pernambuco tem um complicador que é o fato de ter muitas áreas tombadas, o que complica a instalação de antenas convencionais”, explica. “Com esses novos ‘sites’, deveremos começar a expandir a cobertura. Iremos sentar com representantes do Governo para dar início a isso.” Um projeto piloto dessas antenas foi iniciado durante a Campus Party Recife, no ano passado.
Ari, da Vivo: "novas antenas serão mais baratas" (Foto: Divulgação)
Ari, da Vivo: “novas antenas serão mais baratas” (Foto: Divulgação)
A nova antena também é mais barata e resistente. “É possível evitar danos por corrosão em áreas marítimas e incidência de ventos”, disse o executivo.
Fabricado com tecnologia nacional, as novas antenas poderão ser utilizadas também por outras operadoras, informou a Vivo.
Campus Party terá piloto de rede Wi-Fi (Foto: Divulgação)
Campus Party terá piloto de rede Wi-Fi (Foto: Divulgação)

40Gb de internet
Os oito mil campuseiros desta edição da Campus irão contar com uma internet de 40Gbps de velocidade. Além disso, as já citadas antenas sustentáveis levarão  e 4G para dentro do Anhembi. Para efeito de comparação, Carlos Valente, diretor da Vivo, disse que essa conexão equivale a 20 mil pessoas conectadas ininterruptamente a uma velocidade de 2Mbps. “O campuseiro é uma pessoa ávida por comunicação e velocidade”, disse Valente.
A Campus esse ano também inicia um projeto piloto para levar internet Wifi para o espaço. Uma das reclamações de alguns campuseiros é que toda a conexão acontece por cabos. Segundo a Vivo, o problema é uma limitação da própria tecnologia wireless. “Vamos fazer um projeto piloto, mas não sabemos se dará certo ou não. O wifi não foi feito para receber uma quantidade tão grande de dispositivos conectados simultaneamente.
Fonte: Mundobit
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.