Dissidentes da Rede organizam novo partido com apoio de Erundina - Portal Muito Mais - O seu portal de notícias!!!

ÚLTIMAS DO PORTAL

test banner

Post Top Ad

test banner

18 de janeiro de 2015

Dissidentes da Rede organizam novo partido com apoio de Erundina

SÃO PAULO. O apoio da então candidata à Presidência Marina Silva (PSB) ao senador Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições do ano passado gerou tanto descontentamento entre os militantes conhecidos como marineiros, que um grupo deixou a Rede Sustentabilidade e iniciou a articulação de um novo partido. O primeiro encontro oficial acontece nesta sexta-feira em São Paulo e tem a participação da deputada Luiza Erundina (PSB).

O Avante, nome provisório do projeto de partido, tem inspiração no Podemos, partido que surgiu na Espanha após o Movimento 15-M, os “Indignados”, em 2011, provocado pela crise econômica. O Podemos se consolidou como a terceira maior força política espanhola discutindo corrupção, polarização partidária e efeitos da crise europeia. Um dos articuladores do 15-M, Javier Toret Medina, também participa do evento de hoje.

No Brasil, as manifestações de junho de 2013, além da eleição polarizada, contribuíram para a insatisfação dos dissidentes da Rede. Segundo Célio Turino, que já foi porta-voz da Rede e antes era filiado ao PT, o grupo já está organizado em 15 estados.

— Não nos colocamos como terceira via mas como segunda. O que temos hoje é igual, só trocam os rostos, todos têm o argumento de governo de coalizão. Chamamos isso de coalizão de castas, castas partidárias e econômicas que se revezam no país, agindo de acordo com interesses próprios e por cargos. Vamos enfrentar uma crise muito grande no país esse ano, econômica, política, social, ética, e há uma grande demanda por alternativas.

Turino afirma que o Avante é composto não só por dissidentes de partidos mas de integrantes de movimentos sociais.

— Nós queremos um partido-movimento. Não é exatamente um partido, é um partido misturado com movimentos sociais autônomos da cidade. Ele se organiza a partir de círculos. Por exemplo, a Marcha da Maconha discute a política de drogas, o Parque Augusta discute os parques da cidade, movimentos sobre a reforma política. são círculos temáticos.

DESCONTENTAMENTO
Foto: Divulgação
A deputada Luiza Erundina se diz descontente com os rumos que o PSB tomou após a morte do presidente nacional do partido, Eduardo Campos e vê com otimismo o surgimento de uma nova sigla.

— Desde que Marina resolveu apoiar Aécio no segundo turno, eu me afastei. E estou insatisfeita com a condução dessa diretoria atual do PSB. Esse não é o partido para qual fui há 15 anos, mas ainda acredito numa reconstrução de voltar a suas origens e seu compromissos históricos e uma condução mais democrática. 

Apesar de haver 28 partidos representados no Congresso, Erundina acredita que há espaço para uma nova sigla.

— Há uma demanda, há uma expectativa de articular essa força vem das ruas sem vínculo com partidos, o que nos leva crer que há um espaço para esse tipo de movimento fugindo do modelo tradicional, que se limita a uma disputa de poder. É uma visão democrática da política. São ideias mais modernas de participar do processo político a serviço das causas desses movimentos e com soberania popular.

Questionada sobre o ânimo de participar da discussão de mais um partido após das decepções com o PT e, mais recentemente, com o PSB, Erundina afirma que acredita na mudança, mesmo que lenta.

— O desânimo é conservador, ele nos desmobiliza, ele nos coloca na dimensão individual, pessoal, que não é política. Como diz Hanna Arendt (filósofa alemã), a constituição do sujeito é política e a ação é coletiva. Então, uma partido é um instrumento, uma ferramenta, para a transformação, para a luta, para defender bandeiras, não é para ter mandato. E eu não desanimo porque eu acredito na mudança. Ela pode não se dar no meu tempo mas um dia acontecerá. E se eu ficar quieta, me acomodar, simplesmente me queixando, isso não vai acontecer. Quero dar essa contribuição até o ultimo momento que eu tenha condições de trabalho para servir.

Fonte: O Globo
Postar um comentário

Post Top Ad

test banner