Ads Top


Paulista interdita e multa em R$ 50 mil fábrica poluente do Rio Paratibe

Foto: Francisco Marques / Prefeitura do Paulista

Na manhã desta quinta-feira (15.01), a Prefeitura do Paulista, através da Secretaria de Meio Ambiente do município, interditou e multou em R$ 50 mil a fábrica Paulistex, localizada às margens da BR-101 Norte, Km 52, na altura do bairro de Paratibe. A empresa é acusada de funcionar sem licença ambiental e de lançar resíduos químicos, como cloros, ácidos, alvejantes e hidróxidos no Riacho do Boi, afluente do Rio Paratibe - que corta grande parte do município.

Na ação realizada pelos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente do Paulista em parceria com a Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), a fábrica teve seu sistema de lançamento de efluente lacrado. Com isso, as águas contaminadas deixam de ser despejadas no rio.

A Paulistex ainda ficará fechada até que todas as irregularidades sejam corrigidas, sendo a principal delas a falta de um sistema de tratamento de resíduos adequado ao seu volume de produção. O valor da multa, por sua vez, pode chegar aos R$ 200 mil após a conclusão dos laudos das análises que serão feitas nas amostras de água e lodo colhidas no local da poluição.
Foto: Francisco Marques / Prefeitura do Paulista

De acordo com o secretário de Meio Ambiente do Paulista Leslie Tavares, o descarte inadequado dos resíduos da fábrica de produtos têxteis estava causando danos à saúde da população que mora às margens do Rio Paratibe. “As pessoas que residem na área mais próxima à fábrica reclamam do mau cheiro e de doenças respiratórias, já os que têm acesso à água contaminada sofrem com outros tipos de doenças”, explicou o titular da pasta.

A interdição da fábrica é considerada uma ação importante da gestão municipal que conseguiu no último ano autonomia para liberar licenças ambientais, assim como realizar interdições deste porte. “Acreditamos que esse trabalho fará com as outras fábricas que podem estar com irregularidades busquem corrigir suas falhas ao ver que a Prefeitura está fiscalizando e tomando as medidas necessárias”, avaliou Leslie Tavares.

HISTORICO – A fábrica de produtos têxteis Paulistex já havia sido interditada pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) em 2009. Em setembro de 2014, após conquistar autonomia, a Secretaria de Meio Ambiente do Paulista voltou ao local e notificou a empresa ao encontrar novas irregularidades. Com o não cumprimento das normas, a fábrica precisou ser lacrada.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.