Secretaria das Cidades inicia serviços de manutenção na BR-101

Ação envolve tapa-buraco, limpeza na drenagem, capinação e roçagem


A Secretaria das Cidades (Secid) iniciou serviços de manutenção na BR-101, que incluem tapa-buraco, limpeza do sistema de drenagem, capinação e roçagem. A ação ocorre no sentido Norte/Sul do trecho de 30,7 Km da rodovia - compreendido entre o Km 51,6 (Abreu e Lima) e Km 82,3 (Prazeres – Jaboatão).

 Junto com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Rodoviária Federal (PRF), a Secid identificou pontos prioritários, onde há mais risco de acidentes e retenção de trânsito. “Estamos começando a ação atacando os pontos problemáticos existentes na pista, pois alguns já foram causa de acidentes. Depois, vamos trabalhar com as outras demandas”, diz o gerente de Mobilidade da Secid, Gustavo Gurgel.

Os serviços de manutenção da via foram contratados por dois anos, enquanto se trabalha no projeto de requalificação da BR-101, que está sendo revisado pelo DNIT. O valor investido será de R$ 8 milhões.
A engenheira da Secid, Luciana Silveira, explica que, ao chegar ao ponto crítico, as equipes fazem a desobstrução do local, removendo entulhos e fazendo a capinação para remover pontos de alagamento. “É importante que o terreno onde vamos aplicar o CBUQ (Concreto betuminoso usinado a quente) esteja limpo e seco. Então, o asfalto é aplicado, compactado e o trecho é liberado rapidamente”, diz. Assim, a execução dos serviços depende das condições climáticas, porque em dias chuvosos não é possível realizar a aplicação do asfalto em terreno molhado.

Minimizando riscos

Bem próximo à parada de ônibus 190041 da BR-101, localizada em Vila dos Milagres, no Ibura, uma equipe trabalhava para tapar um buraco. A proprietária da JK Lanches, Jacielma Maria dos Santos, comemorava a ação. “Para desviar do buraco, muitos carros subiam o meio-fio em direção à parada de ônibus, o que era um risco de atropelamentos. Além disso, como os carros diminuíam a velocidade, causava engarrafamentos. Muita gente deixou de circular aqui pela área”, relata.

Marcelo Santiago é mecânico numa empresa localizada em frente à depressão que estava sendo corrigida. “Venho de carro. Esse buraco atrapalhava demais para chegar ao trabalho. Provocava um transtorno muito grande. A expectativa é que isso seja resolvido e a gente possa voltar a circular na BR com mais facilidade”, desabafa.


Texto: Alessandra Barbarini
Fotos: Raul Buarque/Secid
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.