Lançamentos e discussões diferenciadas marcam comemorações dos 20 anos da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco em Outubro

Com o tema “Literatura, Resistência e Transformação”, a  X Bienal Internacional do Livro de Pernambuco trará muitas novidades para o público neste ano que marca os vinte anos de atuação do evento. Esta edição homenageia os poetas pernambucanos Ascenso Ferreira (in memoriam), Miró da Muribeca e Marcelino Freire, mas traz diversos debates de peso e nomes expressivos que trazem a força do seu mote no mundo das letras e para o estado, como um dos principais agentes do país especialmente no que diz respeito à resistência e transformação. Um exemplo é alguns dos lançamentos e presenças que estão previstos na agenda. A programação ainda terá grandes surpresas com o lançamento na região da publicação “Vandré O Homem que disse não” do o jornalista, pesquisador e escritor mineiro Jorge Fernando dos Santos, uma biografia não autorizada do recluso cantor, que foi imortalizado por uma das canções para representativas no que diz respeito ao conceito de resistência “Para não dizer que não falei das flores”.  Fruto de um trabalho de quase oito anos de pesquisa e cerca de 100 entrevistas com diversas pessoas, a obra traz um panorama geral do músico enquanto artista e personagem perseguida pela ditadura do país.

Para esta edição comemorativa do evento, que foi homenageado no dia 05 de agosto com sessão solene na Assembleia Legislativa de Pernambuco, contará ainda com uma grande programação com nomes de destaque na cena nacional e mundial, ainda em fechamento pelo núcleo curador composto por Schneider Carpeggiani, Alexandre Furtado e Georgia Alves, além de Raimundo Moraes, Cida Pedrosa, Raimundo Moraes e Sennor Ramos do Interpoética. Esta instituição civil, inclusive, foi o primeiro ponto de cultura digital de Pernambuco, ancorado pela ONG Andararte, com o maior acervo online sobre poesia pernambucana, e integra entre seus parceiros diversos nomes expressivos daquele estado pernambucano. 

A intenção do grupo de curadoria é montar uma programação que reforce os vinte anos da Bienal Internacional de Pernambuco. E entre outros nomes já confirmados está Leonardo Padura, autor de O homem que amava os cachorros, que integra o time de escritores da Boitempo Editorial, que está na previsão de abertura da Bienal. Outra grande surpresa é a presença da pesquisadora, escritora e crítica literária brasileira  Regina Dalcastagnè, cujo trabalho tem se destacado pela avaliação de aspectos desigualdade social na literatura e sobre uma análise minuciosa da forma como a sociedade é retratada na literatura brasileira em obras como “Literatura brasileira contemporânea: um território contestado” e “Personagens do romance brasileiro contemporâneo”.  

Mas, a programação também deverá chamar a atenção dos visitantes pelas várias atividades previstas em projetos especiais, que envolvem as homenagens dos escritores em pauta nesta edição. “Dentro da ideia de resistência, teremos dias nessa edição em que trataremos de temas como a cidade como organismo vivo, a crise do jornalismo tendo entre os debatedores o Muniz Sodré, por exemplo. E pretendemos realizar uma homenagem ao Ascenso Ferreira e, para marcar esta importante iniciativa”, comenta o jornalista Schneider Carpeggiani, que integra o núcleo de curadores do evento.

Para aqueles autores independentes que desejam participar da Plataforma de Lançamentos da Bienal 2015,  a X Bienal Internacional do Livro de Pernambuco abre espaço para poetas, cronistas, contistas, romancistas independentes, entre outros, mostrem suas produções, a partir de inscrições deverão ser feitas até este domingo (dia 16 de agosto), das 10h30 às 21h, pelo site http://www.bienalpernambuco.com/plataforma-de-lancamento/. Os candidatos serão escolhidos por um processo realizado pela UBE - União Brasileira de Escritores, e os selecionados serão contactados via e-mail no início de setembro.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.