Pernambuco terá a sua primeira Biorrefinaria

O governador Paulo Câmara assinou, no último dia 04 de agosto, durante a abertura do 4º Pernambuco no Clima, um memorando de entendimentos que assegura o início do processo de implantação da primeira biorrefinaria do Estado. O foco do empreendimento, que envolverá 25 parceiros do Governo, entre entidades das iniciativas pública e privada, será produzir combustível limpo para, principalmente, abastecer os aviões que terão como destino o Arquipélago de Fernando de Noronha. A Plataforma Pernambucana de Bioquerosene e Diesel Verde, como será chamada a biorrefinaria, foi orçada em R$ 100 milhões.

Dentro de 15 dias será estruturado um grupo de trabalho entre o Governo e essas empresas com o objetivo de formatar o projeto da biorrefinaria. O empreendimento ainda vai criar novas oportunidades para industria canavieira. Além de ser uma grande chance de desenvolvimento de novos mercados de economia verde, a produção de bioquerosene de aviação e de diesel verde integrarão o escopo do programa Carbono Neutro, que pretende anular as emissões de gases que causam o efeito estufa e as mudanças climáticas em Noronha.
Foto: Wagner Ramos
"Estamos avançando na questão da plataforma pernambucana de verde. Essas ações farão com que Fernando de Noronha fique livre de qualquer emissão de gases que prejudicam o local. Isso é possível e necessário; e vai mostrar para o mundo, através do arquipélago, que é possível ter um olhar diferenciado para o meio ambiente", explicou Paulo.

O chefe do Executivo pernambucano adiantou que o Governo quer ampliar as unidades de conservação e incentivar as pessoas a realizarem ações em favor do meio ambiente. "Queremos potencializar o uso de energias limpas, além do uso do querosene verde, para minimizar a ação do efeito estufa. Estamos trabalhando nesse sentido e motivando ações", pontuou Câmara.

Para o governador, não é possível promover o desenvolvimento econômico desvencilhado do desenvolvimento sustentável. "Não dá mais para falar apenas de desenvolvimento econômico e não é possível falar apenas de desenvolvimento social. Temos que garantir que tudo isso venha junto de um meio ambiente protegido. Tivemos a oportunidade, aqui em Pernambuco, de avançar em políticas que já foram implementadas e que precisam ser aprimoradas. É isso que nós vamos promover", afirmou Paulo.

São parceiros do Estado no empreendimento a Azul Linhas Aéreas, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES, Sindaçúcar, Curcas Diesel Brasil, Infraero, Facepe, UFPE, UFRPE, Sudene, Embrapa, Cetene e Refinaria Abre e Lima, entre outros.

DECRETO - Na oportunidade, o governador também assinou decreto que estabeleceu o inicio de um estudo para mapear a linha de costa do Estado ao longo de 187 quilômetros de extensão. O material contemplará, além do mapeamento da Linha de Preamar (que ordena a construção de prédios na orla), o programa do seu monitoramento. "Já tratamos da preservação da Mata Atlântica e da nossa fauna com as unidades de conservação. Agora, estamos iniciando os avanços na delimitação do litoral. Esse esforço nos trará novas concepções e novos formatos de negócios", explicou Paulo Câmara.

PE NO CLIMA - A abertura do Pernambuco no Clima reuniu, no Teatro do Shopping RioMar, pesquisadores e militantes do segmento, entre eles o cantor Lenine. Antes do ato, o governador conferiu a exposição Inovação Tecnológica para uma Economia Verde, promovida pelo evento, que conta ainda com uma programação de seminários.

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, disse que o encontro propõe um debate sobre a reeducação da empresas na adoção de práticas renováveis. "Esse é um movimento que integra os diversos setores da economia na luta pela sustentabilidade. Hoje, o compromisso é desaquecer o planeta, aquecendo a economia", afirmou o gestor.

Paulo Câmara ressaltou que o Estado continuará avançando e que os projetos do tipo são essenciais para o futuro da nossa geração. "Vamos continuar incentivando os programas de energia limpa, eólica e solar", comentou o governador, que encerrou seu discurso com um trecho da composição "Quede Água", do álbum "Carbono", de Lenine. "Que todo pernambucano 'tenha terra, tenha teto, tenha água e tenha voz'".

Também participaram da abertura do PE no Clima o prefeito Geraldo Julio; o cônsul-geral dos Estados Unidos, Richard Heiter; o presidente da Chesf, José Carlos de Miranda; o empresário João Carlos Paes Mendonça e o ambientalista Alfredo Sirkis.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.