Header Ads

ad

O que fazer quando se precisa devolver um animal Silvestre?

No Brasil 44,3% das casas possuem pelo menos um cachorro e 17, 7% um gato. Conhecidos como animais domésticos, eles são bastante comuns nos lares brasileiros, mas, há quem prefira um animal mais exótico como uma cobra, papagaio ou até mesmo um macaco.   Os animais silvestres muitas vezes são vistos como objetos de luxo e o problema está quando o dono não tem mais condição ou o desejo de ficar com o animal, e então, o que deve ser feito para devolve-lo?
Antes de qualquer coisa é preciso entender que o animal silvestre só pode ser adquirido de forma legal. É preciso verificar os procedimentos do estabelecimento que devem apresentar um documento “Autorização de uso e Manejo” que vai conter todos os detalhes da espécie, sendo obrigatório o fornecimento de nota fiscal.
É importante entender a importância da legalidade na compra de um anima silvestre, porque isto é essencial até mesmo em sua devolução. Durante a entrega se o animal não tiver comprovação legal, o dono estará sujeito às sanções legais que estão ditadas na lei de crime ambiental. Caso exista a necessidade de devolução de um animal silvestre o dono pode entrega-lo de forma espontânea aos órgãos ambientais competentes. A entrega pode ser feita a um Centro de Triagem de Animais Silvestre (CETAS) ou a um Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) autorizado.
No Recife desde 2016 funciona o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife. O espaço foi criado pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), onde estes animais são recebidos como vítimas de maus tratos ou de resgates de tráficos. É preciso ter consciência de nunca aderir um animal por impulso ou como fetiche de moda, o animal é um ser vivo que requer cuidado e atenção, além de que os maus tratos cometidos ou abandono são considerados crime. Ao perceber que não tem mais condição de ficar com o animal, nunca repasse para outra pessoa sem acertar as documentações e em hipótese nenhuma o abandone ou solte novamente a natureza, este animal pode não ter mais condições de sobreviver sozinho.
Postar um comentário