Header Ads

Paulista fortalece Segurança Pública em 2018

Responsável por elaborar, implantar e executar a política de segurança pública na cidade do Paulista, a equipe da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã e Defesa Civil atuou, diariamente no ano de 2018, para prevenir e reduzir a violência no município. O órgão ainda acompanhou de perto as famílias que moram nas áreas de risco da cidade, para minimizar, por meio de ações emergenciais, os desastres naturais.  

Dividida em duas equipes (Guarda Municipal e Defesa Civil), a pasta se coloca à disposição da população para os casos que envolvem desde as rachaduras que comprometem a estrutura dos imóveis, até os roubos e furtos. O trabalho desenvolvido no Paulista é fruto de projetos da atual gestão e/ou de acordos firmados com órgãos estaduais e nacionais.

A seguir, você confere algumas das ações promovidas pela pasta em 2018:

SEGURANÇA CIDADÃ (GUARDA MUNICIPAL)
Para coibir a  prática criminosa e as infrações no trânsito, a pasta adquiriu mais 50 câmeras de vídeomonitoramento que ficarão encarregadas de transmitir imagens em tempo real de diversos bairros para uma central que conta com Guardas Municipais, Agentes de Trânsito e Policiais Militares. A expansão do sistema de videomonitoramento  torna o atendimento às ocorrências mais ágil e eficiente, fortalecendo a política de segurança pública no município.

A ideia da gestão é passar a monitorar de perto a orla da praia do Janga e toda a região litorânea do município. Os comércios passarão a contar com a fiscalização da Polícia Militar, realizada do Centro Integrado de Segurança (CIS).

“Acreditamos que a prevenção seja o melhor caminho para combater a criminalidade. O investimento do município nessas câmeras traz a real segurança para a população, porque as pessoas ficam com medo até de cuspir em um local monitorado, quanto mais de assaltar ou traficar drogas. Com certeza, por ajudarem a identificar atitudes suspeitas, essas câmeras distanciam as práticas criminosas da nossa cidade”, afirmou o secretário de Segurança Cidadã e Defesa Civil do Paulista, Manoel Alencar.

As câmeras ficarão espalhadas pelos principais pontos da cidade, como o comércio, as entradas dos bairros, as praças públicas e as vias de acesso à cidade. Para garantir o pleno funcionamento do serviço, a prefeitura vai investir, em média, R$ 140 mil por mês.

Pensando em melhorar o serviço prestado à população, os gestores da pasta buscaram parcerias para capacitar ainda mais os agentes da Guarda Municipal. Nesse ano, os agentes puderam aperfeiçoar técnicas de lutas, utilização de algumas armas não letais, além do uso correto das algemas.

"Os profissionais da segurança precisam estar em constante processo de atualização, seja ela de técnicas de abordagem, para não cometerem erros em uma eventual situação, ou até mesmo de manuseio de algum instrumento que possa vir a ser útil durante o serviço, como uma algema, por exemplo", destacou Alencar, afirmando que um agente de segurança preparado, defende melhor a população.

No âmbito da política de assistência, o programa “Crack, é Possível Vencer” atingiu o seu terceiro ano de atuação no município. Realizado em parceria com o Ministério da Justiça, o projeto vem resgatando vidas na cidade através do enfrentamento às drogas. A iniciativa conta com rondas ostensivas feitas por guardas municipais e policiais do 17° Batalhão da Polícia Militar, na tentativa de prevenir o uso de entorpecentes e promover a assistência necessária ao usuário do crack.

“Só em 2018, o programa “Crack, é Possível Vencer” visitou 243 unidades de ensino para alertar os jovens sobre o perigo do primeiro contato com as drogas. É importante destacar que Paulista foi o primeiro município de Pernambuco a implantar esse projeto. A equipe já conseguiu encaminhar um bom número de dependentes químicos à clínicas de reabilitação. Trabalhamos em parceria com a secretaria de Educação, de Políticas Sociais, e de Saúde, que nos ajuda acompanhando os casos pelos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS)”, destacou o secretário Alencar.

Ainda pensando na prevenção contra o uso de drogas, a pasta conseguiu uma parceria com a Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco para implantar o Programa Educacional de Resistências às Drogas e a Violência na cidade. A iniciativa formou 2,3 mil alunos em 2018, que agora estão engajados nas políticas contra o uso de entorpecentes.


DEFESA CIVIL

A Defesa Civil do Paulista realizou, em 2018, mais de mil vistorias técnicas de engenharia nos imóveis que apresentavam, em sua maioria, problemas relacionados à infiltrações, rachaduras e condições de instabilidade. O pronto atendimento, que chegou a zerar o número de solicitações feitas pela população, minimizou ameaças em potencial ao colapso estrutural dos imóveis. Em todos os casos, os agentes elaboraram um relatório com a situação das estruturas. A última atitude tomada visando a segurança das famílias é a ordem de despejo.

No mesmo período, a equipe aplicou cerca de 85 mil m² de lonas plásticas nas encostas da cidade. Depois das visitas, os engenheiros e os técnicos fazem as recomendações necessárias para ajudar a população a evitar os desmoronamentos. As orientações geralmente são feitas  através de cartilhas ilustrativas, que ficam com os moradores.

“Em 2018, pudemos dar continuidade às campanhas educativas, como a “Fique Bem com a Defesa Civil”, que orienta a população através de cartilhas ilustrativas, a agirem de maneira preventiva para evitar desastres. Graças à Deus e ao trabalho preventivo, nenhuma tragédia foi registrada nesse sentido”, ressaltou o secretário  Alencar.

E de fato, o que Alencar falou faz muito sentido. Não houve nenhum registro de vítima fatal envolvendo deslizamento de barreira no município em 2018. "É importante destacar que a gestão procurou se modernizar ao disponibilizar para a população um aplicativo de celular que serve para relatar casos que envolvam a segurança pública e a proteção civil. O app "Paulista Conectada" pode ser baixado rapidamente na loja virtual dos smartphones e é uma grande ferramenta na mão de um cidadão. Quando feitas por esse canal, as denúncias são respondidas em até quatro minutos", frisou Alencar.

Nenhum comentário