Header Ads

Camaragibe recebe o 2º Festival das Infâncias Populares

O 2º Festival das Infâncias Populares acontece dia 02 de fevereiro, no Canto das Memórias Mestre Zé Negão, localizado na, rua Lucionise Moura de Melo, n° 5 - João Paulo II, Camaragibe - (PE). O projeto é realizado pela LAIA (Laboratório de Intervenções Artísticas) e tem objetivo de difundir as brincadeiras populares infantis esquecidas após a imersão da sociedade contemporânea, no universo e dispositivos digitais. A intenção é atuar na promoção e interação entre as pessoas, sobretudo, crianças e adultos. além propiciar um ambiente favorável para ludicidade, conectando junto aos mais velhos, por meio da partilha de suas memórias.

O projeto foi idealizado pela Mestra Fátima, artesã, costureira, integrante da LAIA e conta com incentivo da Secretaria de Cultura do Estado, por meio do Funcultura.

Programação

A programação conta com a confecção de brinquedos populares: bonecas Abaiomy (bonecas negras); pé de cavalo; vai e vem; máscaras, bolas de malabares; pernas de pau; petecas, entre outros. Muitas brincadeiras populares: pula cordas; telefone sem fio; passa anel; quebra panelas; pião, bola de gude. O festival conta também com oficinas de confecção de brinquedos populares, facilitada pelo Mestre Zé Negão e oficina de malabarismo com a palhaça Raquel Franco, além de apresentações culturais.

Interação entre Crianças e Adultos

Sempre com a presença de pais e filhos, para que essa interação se estenda dentro da própria família e entre as famílias da comunidade. O projeto é um convite a interação, tem foco nas crianças de bairros periféricos de Camaragibe. Nesta segunda edição, o Festival das Infâncias agrega também uma roda de conversa/oficina com Seu Martelo, brincante de Cavalo Marinho que está circulando no estado com o projeto "Só vai no Sonho".

Primeira Edição

Em 2016 foram realizados de forma independente e colaborativa. Contou com a participação dos moradores da própria comunidade. Apesar do incentivo, o festival mantém suas características e continua aberto à colaboração e doações. Seja de brinquedos para as crianças do bairro, alimentos ou artistas que desejam ministrar oficinas para as crianças. Os encontros anteriores evidenciaram a disponibilidade dos moradores para colaboração e a aceitação dos mesmos à uma ação voltada às crianças, até então inexistente na região.

Nenhum comentário