Header Ads

Paulo Câmara apresenta modelo de gestão e metas do Governo ao novo secretariado

Em sua primeira reunião com o secretariado para este segundo mandato, neste sábado (05.01), o governador Paulo Câmara apresentou a toda a equipe como funciona e quais as diretrizes estabelecidas no modelo de gestão adotado pelo Governo de Pernambuco e as metas para 2019. Na ocasião, Paulo abordou as prioridades para os próximos quatro anos, o andamento das ações que já vinham sendo realizadas e questões orçamentárias de cada secretaria. O chefe do Executivo estadual ainda destacou a necessidade da integração entre as pastas, para a garantia de mais efetividade nas ações de governo, e o compromisso pela busca constante da melhoria dos serviços públicos oferecidos à população. O encontro, realizado no Palácio do Campo das Princesas, aconteceu um dia após Paulo levar todos os secretários e a vice-governadora, Luciana Santos, ao Sertão do Estado para conferir, de perto, uma das principais demandas do povo pernambucano: a questão hídrica.

“Pernambuco tem um modelo de gestão reconhecido mundialmente pela Organização das Nações Unidas, pelo Banco Mundial e por outras entidades. Então, é necessário que a equipe possa conhecer bem essa mecanismo, que vai guiar o nosso trabalho e, como vem fazendo ao longo dos últimos anos, nos ajudar a alcançar os resultados que a população espera de forma mais rápida e eficiente”, afirmou, em entrevista à Imprensa, o secretário de Planejamento e Gestão, Alexandre Rebêlo, completando: "Seguiremos fazendo mais com menos".

Alexandre Rebêlo frisou ainda que o governador Paulo Câmara aproveitou a reunião para enfatizar o ciclo de monitoramento, realizado mensalmente e que está relacionado à pactuação das metas que serão realizadas nos próximos quatro anos e os mecanismos de ausculta popular da gestão. “Apresentamos o modelo do seminário Todos por Pernambuco, que é um modelo de gestão em que visitamos o Estado todo e ouvimos a população para definir prioridades. É uma confecção do mapa de estratégias que vai apontar para as prioridades nos próximos quatro anos”. Do ponto de vista financeiro, Rebêlo afirmou que haverá reuniões, ainda em janeiro, para pactuar com o secretariado os tetos de gasto do ano.

Com relação às prioridades para este segundo mandato, o secretário de Planejamento e Gestão pontuou que elas serão definidas já no primeiro ciclo de monitoramento, mas que o legado, ou seja, as ações que já estavam em andamento, serão levadas em consideração. “Esse é um governo de continuidade, então, vamos levantar o que está acontecendo nas pastas, pois a determinação do governador foi de concluir o que já está em andamento antes de pensarmos em começar a realizar novas ações”, esclareceu.

Rebêlo destacou, ainda, que a relação com o Governo Federal não será, de forma alguma, pautada por questões ideológicas. “A orientação do governador é a de que os secretários  devem ir até Brasília, procurem os ministros e busquem ações e financiamentos para as obras relacionadas a Pernambuco”, afirmou.

Nenhum comentário