Header Ads

Saiba quando a perda de memória é sinônimo de uma possível doença

Há uma diferença entre perda de memória leve e a perda de memória progressiva. A perda de memória leve é natural, ocorrendo com todo mundo, que em certos momentos não lembram de episódios anteriores. Já a perda de memória progressiva é um processo mais preocupante e tende a aumentar com o avanço da idade, desencadeando algumas doenças mais graves, entre elas a Doença de Alzheimer (DA).
Uma doença inquietante e evolutiva, a perda de memória progressiva pode ser iniciada de repente ou gradativamente, levando a pessoa a esquecer de eventos recentes ou de um passado bem distante.
Contudo, é incorreto afirmar que a cada dia que passa, muitos dos nossos neurônios morrem. Estudos na Alemanha provaram o contrário, pois existem pessoas que possuem uma tendência patológica para desenvolvimento dessa situação, enquanto outras simplesmente exageram em algumas práticas diárias.
Listamos algumas causas influentes nessa perda de memória ativa, onde é preciso ter um certo controle no uso e até mesmo uma interrupção definitiva, se caso esse uso for rotineiro:
Excessivo uso de álcool e drogas – é reconhecido que o álcool causa uma falha na memória significante e gradativa. Já as drogas ilícitas como heroína e cocaína, alteram quimicamente o cérebro, aumentando chances de problemas nos neurônios;
Medicamentos - relaxantes musculares, antidepressivos, soníferos, e até remédio para dor pós cirurgia, afetam também o sistema neurológico;
Estresse, ansiedade ou depressão – são perigosos para todo o sistema neurológico;
Privação de sono – o cérebro precisa de uma quantidade significativa de sono para recuperar informações;
Nesses casos, é necessário que haja uma observação se a memória está falhando frequentemente e se essa falha compromete a prática de atividades diárias, devendo marcar uma consulta com um médico Neurologista e realizar avaliações que indiquem ou não alterações nas lembranças.
Uma recomendação acessível para exercício da mente, indicadas para crianças e adultos que tenham na família casos de doenças de perda de memória, além de procurar um neurologista o quanto antes, são os jogos de caça-palavras, palavras cruzadas e sudoku.

Nenhum comentário