Header Ads

Maria da Penha vai à Escola premia comunidade escolar no Paulista

“A maior mensagem que queríamos passar a todos é a questão do respeito, da união e do amor. Eu acho que através do amor, a gente consegue tudo. Consigamos dizer o não à violência e o respeito acima de tudo a todas às mulheres”, disse Sônia Ataíde, professora do 3° ano da Escola Municipal Comendador Artur Lundgren I, vencedores na categoria Apresentação Cultural, na premiação Maria da Penha vai à Escola.
A solenidade, que faz parte de uma parceria entre a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e Educação da cidade, aconteceu no auditório da Faculdade Joaquim Nabuco, no Centro do Paulista, na manhã desta terça-feira (26.03). Durante o evento 28 prêmios foram entregues, contemplando professores, estudantes e escolas da rede local de ensino, entre eles, um notebook, TVs, celulares e bicicletas.
O Maria da Penha vai à Escola está na sua sexta edição. Os prêmios foram na categoria individual e coletivo, com as modalidades de  redação, relato de experiência, projeto de trabalho, artigo científico, apresentação cultural e escola amiga da mulher. Durante a entrega dos prêmios do Maria da Penha Vai à Escola, que hoje é lei municipal, também foi lançada a Edição 2019 do Programa.
Representando o Secretário de Educação do Paulista Carlos Júnior, a gerente de Programas e Projetos da pasta Luzanira Carvalho comentou a importância do Programa nas escolas. “A gente vê que a violência vem aumentando a cada dia. E a cultura de paz é muito importante principalmente nas escolas. A comunidade escolar aceitou de forma positiva essa iniciativa. A paz deve começar em casa e também através dos nossos alunos”, finalizou. 
O Chefe de Gabinete do Paulista Francisco Padilha disse que com o pioneirismo em criar uma secretaria executiva especialmente voltada para as mulheres. A gestão tem solidificado o Programa Maria da Penha vai à Escola no município independente de partidos e gestão municipal. “Estamos servindo de exemplo para os municípios vizinhos em relação à valorização do programa de gênero. Para nós a mulher não pode continuar como vítima, mas ela tem que ser a protagonista. A mulher tem que estar onde ela quiser. Com o programa, nós levamos para as escolas e aos nossos alunos, a consciência que não pode bater em mulher, não pode oprimir, não pode reprimir. A mulher tem que ser tratada com igualdade”.
Segundo a secretária Executiva da Mulher do Paulista, Bianca Pinho Alves, esse prêmio é o resultado de um trabalho que vem se consolidando na cidade no enfrentamento à violência contra a mulher. “A semente foi plantada desde 2013. Toda a comunidade escolar abraçou a causa da questão de gênero. O programa Maria da Penha vai à Escola está formando uma nova geração e uma nova sociedade e está deixando um legado para a nossa cidade e para nossos cidadãos. A nossa mensagem que nós queremos passar é que somos seres humanos e devemos nos respeitar”.
Maria da Penha Vai à Escola é um programa que visa contribuir com a mudança cultural e social para a construção de uma convivência de respeito e direitos iguais, entre homens e mulheres, produzindo reflexos definitivos a médio e longo prazo na formação das novas gerações. A iniciativa faz parte do Programa Gênero e Educação, que inclui a capacitação em gênero na formação dos profissionais de educação da rede municipal de ensino. Com a criação do prêmio, Paulista se tornou o primeiro município de Pernambuco a desenvolver uma iniciativa dessa natureza, que busca propagar a mensagem de igualdade de gênero e não à violência contra a mulher nas unidades de ensino.

Nenhum comentário