Daniel Coelho quer informatizar a saúde e extinguir cargos comissionados

c28b0b0499df8ff88bda660373187a35.jpg
Tucano lançou programa de governo neste sábado na presença de militantes e aliados políticos
Foto: Milenna Gomes/Especial para o NE10


Milenna Gomes  
Do NE10
 
O candidato tucano à Prefeitura do Recife, Daniel Coelho, planeja, em um possível mandato, acabar com as vagas ocupas por indicação política, os conhecidos cargos comissionados, e "desinchar" a PCR. Essa é um das propostas da longa lista do programa de governo que apresentou, na manhã deste sábado (14), em um evento no qual se reuniram militância e aliados políticos.

Bastante entusiasmado, Daniel subiu ao palco do Teatro da Boa Vista, no Centro do Recife, para falar a uma plateia lotada e começou o discurso alfinetando adversários. "Nossas propostas não foram tiradas do chapéu ou construídas de 15 dias para cá. Somos uma alternativa a candidaturas que há 50 estão no poder, em um ciclo, e nunca trouxeram solução", falou.    

O prefeiturável criticou o baixo investimento em educação e se comprometeu em utilizar, pelo menos, 25% das verbas recifenses nessa área e falou, também, em transformar todas as escolas municipais em centros educacionais de referência. Em relação à precariedade nos atendimentos da saúde na cidade, comparou: "A Secretaria de Finanças conta com um sistema de informação ágil e eficiente para identificar devedores e cobrar a população. Mas, se o cidadão for a um hospital o médico não tem como saber que doenças ele já teve ou medicação pode tomar".
A intenção, diz o candidato, é informatizar a saúde. "Não é caro. Temos a tecnologia a nossa disposição. Só que, até agora, faltou vontade política", acusou. Outro ponto da saúde que, segundo ele, precisa ser melhorado é a dificuldade em marcar consultas especializadas no Recife. "Faremos seis clínicas de Assistência Médica Ambulatorial (AMA), locais para atender a forte demanda", explicou. O projeto foi motivo de polêmica nesta sexta-feira (13), já que, de acordo com o tucano, o candidato socialista na disputa eleitoral, Geraldo Julio, o teria plagiado.
Coelho mostrou intenção, também, em entregar todas as obras aprovadas no Orçamento Participativo e que não chegaram a ser iniciadas. "Vamos recuperar a confiança do povo", diz. O postulante ainda apresentou planejamentos para mobilidade urbana (ciclovias, passagens de ônibus pagas antecipadamente, corredores exclusivos, teleféricos), lazer (investir em esportes e áreas de convívio coletivo) e combate às drogas (apoio a instituições que trabalham na causa), além de um plano ambiental no qual estariam inseridas mellhorias na coleta e descarte do lixo, educação ambiental e criação de parques ecológicos.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.