Marcos Assunção chora com primeiro título no Verdão: ‘Talvez pare’

Muito emocionado, volante agradece ao técnico Felipão, dá recado
 aos críticos e deixa no ar que pode se aposentar no final deste ano

Por Diego Ribeiro e Leandro Canônico de Curitiba
 
As lágrimas nos olhos de Marcos Assunção representaram bem o sentimento dos torcedores do Palmeiras, após o empate por 1 a 1 com o Coritiba (assista no vídeo aos melhores momentos), que valeu o título da Copa do Brasil, nesta quarta-feira. Algo como um “ufa, acabou o sofrimento”. A emoção do volante, porém, tinha a ver também com o fato de ele estar pensando em se aposentar no final deste ano, quando vence seu contrato com o clube.

Muito embora Assunção tenha dito recentemente que uma vaga na Libertadores, aliada ao bom condicionamento físico, poderia fazê-lo mudar de ideia, após a conquista da última quarta-feira o volante deixou claro que ainda pode parar de atuar em dezembro desta temporada.

- Estou emocionado porque esse é meu último título. Talvez no final deste ano eu pare de jogar - declarou o meio-campista do Verdão.

Um dos mais assediados na comemoração do título alviverde, Marcos Assunção mostrou-se aliviado com o título. Principalmente porque vivia se cobrando por ainda não ter sua foto estampada no clube como campeão, assim como têm ex-atletas que fazem parte do seu dia-a-dia, como Marcos, César Sampaio e Galeano.
Marcos Assunção, Palmeiras, Comemorando (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Emocionado, Marcos Assunção beija a camisa após a conquista (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
- Vou ter meu quadro no Palmeiras. Eu entrava no vestiário do treinamento e via Marcos, César Sampaio, Galeano, Felipão... Sempre me perguntei: quando vou poder estar na foto da parede? Agora estou - acrescentou Assunção.

Felipão, aliás, é o maior responsável pelo título do Palmeiras. Isso na visão de Marcos Assunção. Segundo o volante, o técnico é um “cara vencedor”.

- O Felipão é um cara que sofreu muitas pressões, de todos os lados, e se manteve firme, sereno. E esse título é para ele. Tivemos algumas pressões, mas ele muito mais do que a gente - disse o meia.

Por fim, ainda emocionado, caminhando pelo gramado do estádio Couto Pereira, em Curitiba, Marcos Assunção deu um recado aos seus críticos.

- Quando eu voltei ao Brasil, depois de dez anos fora, ninguém acreditava. Falavam que eu estava velho com 31 anos e agora, com 36, estou levantando a taça de campeão do Brasil - finalizou o capitão palmeirense.


Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.