Header Ads

ad

Fogo em depósito causa susto e destruição

Chamas começaram em galpão, em Peixinhos, Olinda, e se espalharam rapidamente. Houve explosões e vizinhos ficaram apavorados
Por volta das 19h30 os bombeiros controlaram as chamas / Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Por volta das 19h30 os bombeiros controlaram as chamas

Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Do JC Online 

Um incêndio dentro de um galpão na Rua Santo Amaro, em Peixinhos, Olinda, desesperou os moradores da região durante a noite de ontem. O fogo começou em um depósito de caminhões, por volta das 17h, e se espalhou ao entrar em contato com um tanque de combustível que funciona no espaço. Uma sequência de explosões e o avanço das chamas assustaram a população. O Corpo de Bombeiros não identificou vítimas.

“Todo mundo ficou desesperado com o barulho das explosões. Minha avó mora ao lado do galpão e foi um sufoco para tirar ela de lá. A gente está muito apreensivo porque é provável que hajam muitas substâncias inflamáveis ali”, alertou a estudante Tamires Conceição. A espessa fumaça preta gerada pelo incêndio era vista à distância.

O dono do galpão,  conhecido como “Gilson do Caminhão” não foi localizado durante o incêndio. Materiais recicláveis, como papelão, também eram guardados no local. Existe a possibilidade de o tanque para armazenamento de combustível existir de maneira ilegal.

Galeria de imagens

Incêndio atinge galpão em Peixinhos
Legenda
Anteriores
  • Foto%3A%20Bernardo%20Soares/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Bernardo%20Soares/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Bernardo%20Soares/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Bernardo%20Soares/JC%20Imagem
Próximas




A Polícia Militar precisou isolar a área para impedir a aproximação dos moradores da comunidade, que se mobilizaram ao redor do fogo. A Celpe interrompeu o fornecimento de energia na rua para evitar acidente maior.

A causa do incêndio ainda não foi esclarecida. Por volta das 19h30, o fogo foi controlado. Apesar de não ter se espalhado para as casas, o fogo provocou demolições no galpão e destroços atingiram as residências vizinhas.
Postar um comentário