Em nota, Sintepe critica retirada da obrigatoriedade do ensino de Espanhol da Rede Estadual - Portal Muito Mais - O seu portal de notícias!!!

ÚLTIMAS DO PORTAL

test banner

Post Top Ad

22 de fevereiro de 2018

Em nota, Sintepe critica retirada da obrigatoriedade do ensino de Espanhol da Rede Estadual

O Sintepe (Sindicato dos/as Trabalhadores/as em Educação de Pernambuco) lançou nesta quarta(21) nota pública criticando o Governo do Estado por retirar da matriz curricular das Escolas de Referência e das Escolas Técnicas o ensino da língua estrangeira Espanhol. A portaria SEE 637/2018, de 29 de janeiro, também determina a exclusão total do ensino do Espanhol da Matriz Curricular do Ensino Médio, Semi-Integral e do Ensino Integrado.

O Sintepe lembra que desde de 2012 o Estado de Pernambuco garantia o "direito de duas Línguas Estrangeiras na escola, sendo a primeira obrigatória e a segunda optativa e a Língua Espanhola seria a obrigatória, se assim fosse a decisão da comunidade escolar".

O Sindicato argumenta que a Secretaria de Educação não precisaria se "adequar" às pressas à Reforma do Ensino Médio implantada pelo governo de Michel Temer, por meio da Lei 13.415/2017. "Apesar da lei da Reforma do Ensino Médio não prevê a obrigatoriedade do ensino do Espanhol, o Sistema de Ensino  Estadual tem liberdade para tornar obrigatório no seu âmbito de atuação a Língua Estrangeira Espanhol na Matriz Curricular no Estado de Pernambuco", diz a nota do Sindicato.

O Sintepe realizará uma plenária com professores e professoras e comunidade escolar no próximo dia 3 de março, às 9h, na sede do Sindicato, para discutir a reação ao que julgam um prejuízo para a educação no Estado.


Veja na íntegra: 

Contra a retirada do Ensino da Língua Estrangeira Espanhol da matriz curricular da Rede Estadual de Educação em Pernambuco

"O Sintepe posiciona-se contrário à retirada do ensino da Língua Estrangeira Espanhol da matriz curricular das Escolas de Referência em Ensino Médio Jornada Integral, Semi–integral e das Escolas Técnicas Estaduais, como está explícito na Portaria SEE 637, de 29 de janeiro de 2018. A referida Portaria publicou as Matrizes Curriculares dessas escolas a serem vivenciadas a partir do ano letivo de 2018.

A referida portaria impõe mudanças que afetam professores/as e os estudantes, sem qualquer discussão com a comunidade escolar e a representação sindical dos Trabalhadores/as em Educação. Dentre as mudanças, está a retirada da Língua Estrangeira Espanhol da parte diversificada da Matriz Curricular do Ensino Médio Integral, realocando-a para as atividades complementares. Também, determina a exclusão total do ensino do Espanhol da Matriz Curricular do Ensino Médio – Semi-Integral e do Ensino Integrado. A Instrução Normativa nº 01/2012, revogada, garantia o direito de duas Línguas Estrangeiras na escola, sendo a primeira obrigatória e a segunda optativa e a Língua Espanhola seria a obrigatória, se assim fosse a decisão da comunidade escolar.

No último dia 19 de fevereiro o Governo do Estado abriu inscrições para cursos de idiomas gratuitos por meio dos Núcleos de Estudos de Línguas (NEL), oferecendo 3.415 vagas para Inglês, Espanhol, Francês e Alemão, em apenas 30 escolas do Estado. A ampliação de Núcleos de Estudos de Línguas é sempre positiva, mas neste caso específico, ademais de não ofertar em quantidade razoável o ensino de línguas estrangeiras em uma rede de quase mil escolas e excluir da abertura desses novos núcleos algumas importantes regiões do Estado, continua o problema crucial que é a retirada do Espanhol da Matriz Curricular.

A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, em seu artigo 4º, parágrafo único, afirma que a República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos princípios de buscar a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino - americana de nações”. Portanto, a exclusão do ensino da Língua Espanhola é uma clara afronta à Constituição Brasileira e à construção de uma política educacional que possibilite essa integração.

A malfadada Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017, da Reforma do Ensino Médio, afirma no parágrafo 5 o que no currículo do ensino fundamental, a partir do sexto ano, será ofertada a língua inglesa. No entanto, este parágrafo não impede a oferta de outra Língua Estrangeira. Também a referida lei afirma no parágrafo 4 o   que os currículos do ensino médio incluirão, obrigatoriamente, o estudo da língua inglesa e poderão ofertar outras línguas estrangeiras, em caráter optativo, preferencialmente o espanhol, de acordo com a disponibilidade de oferta, locais e horários definidos pelos sistemas. Destacamos também, que a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio ainda não foi regulamentada, portanto, é apressada essa reformulação da Matriz Curricular no âmbito estadual.

A LDB, Lei 9.394 de 20 de dezembro de 1996, em seu artigo 8º afirma que a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão, em regime de colaboração, os respectivos sistemas de ensino e o parágrafo 2º diz que os sistemas de ensino terão liberdade de organização nos termos desta Lei; portanto, apesar da lei da Reforma do Ensino Médio não prevê a obrigatoriedade do ensino do Espanhol, o Sistema de Ensino Estadual tem liberdade para tornar obrigatório no seu âmbito de atuação a Língua Estrangeira Espanhol na Matriz Curricular no Estado de Pernambuco.

Assim, o Sintepe reafirma o seu posicionamento em relação à defesa do ensino da Língua Estrangeira Espanhol, considerando os elementos acima abordados e buscará o apoio da comunidade escolar e da sociedade para que essa discussão seja feita no âmbito do projeto político-pedagógico das escolas, no Conselho Estadual de Educação e na Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa de Pernambuco, objetivando modificar o equívoco da referida Portaria do Governo do Estado.

Comunicamos que haverá uma plenária no dia 03 de março, às 9 horas, na sede do Sintepe, com a participação dos/as Trabalhadores/as em Educação, Estudantes, Pais e Mães, Universidades e diversas instituições com o objetivo de realizar uma ampla mobilização pela garantia do direito ao Ensino da Língua Estrangeira Espanhol nas redes de educação em Pernambuco. "
Postar um comentário

Post Top Ad

test banner