Header Ads

Projeto que incentiva a participação dos pais na escola chega à escola Cônego Costa Carvalho, em Maranguape I

Desenvolvido pela Secretaria de Educação do Paulista, o projeto Escola da Família tem como objetivo incentivar a aproximação de toda a família com o aprendizado e a vivência dos alunos nas escolas da rede municipal. Dessa vez, o encontro aconteceu nesta quinta-feira (28.03), na escola Cônego Costa Carvalho, em Maranguape I, e contou com a presença de aproximadamente 90 familiares que se preocupam com o desenvolvimento dos estudantes no dia a dia, não só na escola, como também em casa.
Durante o encontro houve uma palestra descontraída comandada pela coordenadora de Articulação Comunitária e Interlocução Escolar, Lea Ribeiro, junto a suas auxiliares: Elza Maria, Andrea Vieira e Angélica Brito, o projeto foi bem aproveitado pelos familiares dos estudantes, com dúvidas e questionamentos sanados, além de brindes e dinâmicas para os responsáveis.
“O projeto Escola da Família atualmente acontece em 11 escolas do município, onde realizamos encontros como este, e cada encontro é uma temática diferente. Hoje estamos falando sobre ‘aprender a conhecer’, que é um dos pilares da educação, e esse tema está baseado no desejo e na vontade do aluno, mas, essa vontade precisa ser motivada. Para isso, entendemos que os pais podem e devem colaborar com nosso projeto, pois essa tarefa precisa ser compartilhada”, afirmou a coordenadora.
Lea Ribeiro ainda destacou a responsabilidade do projeto em influenciar a participação dos familiares no diálogo com as crianças e adolescentes. “Percebemos que o desenvolvimento da aprendizagem do aluno depende não só da escola, mas também da família. Uma vez que a família é responsável por educar, e a escola é uma colaboradora nessa instrução, pois essa parceria não pode ser fragilizada, e sempre precisamos dos apoios dessas pessoas nas escolas“.
A gestora da escola, Flávia Vieira, salientou a importância do projeto na instituição. “É comum vermos em nossa sociedade crianças e adolescentes inseridos na prostituição, drogas e alcoolismo, e muitas vezes não pertencem didaticamente as escolas, porém, a nossa rede municipal busca sempre inserir esse elo com as comunidades, porque no momento que os alunos estão aqui, procuramos ensiná-los corretamente sobre a boa vivência. E essa iniciativa da Secretaria de Educação foi envolvendo todos os que estão, de uma forma ou de outra, ao redor da nossa instituição ”, frisou.
Também apoiando a coordenadora Lea Ribeiro, a gerente de Articulação Comunitária da Educação, Valdenize Honório, ressaltou a mudança do nome do projeto Escola de Pais, para Escola da Família, devido ao entendimento com as reuniões anteriores de que não somente os pais participavam dos encontros. “Nos encontros anteriores, notamos a presença de tias, avôs, avós e outros parentes dos alunos, por isso, acreditamos que não se pode restringir uma reunião tão importante quanto essa, quando na verdade obtivemos a participação da família por inteiro”, afirmou.
Pai de dois alunos da rede de ensino, o senhor Davi Sebastião, evidenciou o aproveitamento dos filhos no acolhimento da escola. “Só tenho elogios para este projeto, e acho muito importante que os pais sejam mais participantes nas escolas, pois não é só o colégio que prepara os alunos, e sim os pais também. É um conjunto”, finalizou.

Nenhum comentário