Header Ads

ad

Justiça intima filho de Dominguinhos em processo que pede a transferência do corpo para Garanhuns

O sanfoneiro, morto no dia 23 de julho, foi enterrado no 
Cemitério Morada da Paz, em Paulista


A juíza Andréa Duarte Gomes concedeu, na tarde desta quinta-feira (8), prazo de 10 dias para que Mauro Morais, filho de Dominguinhos, insira os outros herdeiros do músico em processo que solicita a transferência do corpo para o município de Garanhuns. 


No dia 2 de agosto, o advogado Ednaldo Silva Ferreira deu entrada, no Fórum de Paulista, em pedido de transferência do corpo de José Domingos de Morais, o Dominguinhos, do Cemitério Morada da Paz, em Paulista, para Garanhuns. O herdeiro de Luiz Gonzaga teria manifestado, em vida, o desejo de ser enterrado em sua terra natal.

Na manhã do enterro, durante velório na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco, ainda pairava dúvida sobre o local do enterro. 

"Assim, faz-se mister que os demais herdeiros/interessados integrem a relação processual, seja na condição de autor, compondo o pólo ativo, ou na situação de requeridos, oportunizando-se espaço para que se pronunciem quanto ao pedido formulado na petição inicial", escreveu a juíza.

Mauro, filho do primeiro casamento, deve incluir a irmã, Liv Morais, e a ex-companheira do pai e mãe de Liv, Guadalupe Mendonça, no processo, sob pena de arquivamento. As duas podem participar como autoras, junto com Mauro, ou como rés. A versão atual da ação não tem réu.

Polêmica - Os familiares de Dominguinhos estão em disputa judicial desde a internação do músico, no ano passado. Quando ele ainda estava internado, Mauro Morais entrou com ação de interdição para tomar decisões pelo pai. O processo ainda está em andamento. Guadalupe afirma ter procurações para administrar os bens do sanfoneiro.

As informações são do Diário de Pernambuco
Postar um comentário