Header Ads

Humanizar a relação entre servidores e usuários do SUS é visto como maior desafio pela secretária de Saúde do Paulista

Depois de elencar todos os avanços consolidados na rede municipal de Saúde, a secretária da pasta, Fabiana Bernart avalia que o grande desafio, não só do Paulista, mas da saúde pública no país, é humanizar as relações entre os funcionários e os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). E isto, segundo a secretária, passa por um acolhimento mais adequado, procedimentos organizados e a utilização da informática para garantir acesso da população ao sistema.  

A gestora municipal fez um balanço, apontando o que ela considera avanços significativos nas políticas públicas implantadas na cidade. Um dos investimos considerados mais importantes foi na estruturação física da rede com a construção de nove novas unidades de saúde e a requalificação de mais 29 postos, proporcionando melhores condições de trabalho aos profissionais da área.

Para Fabiana Bernart, também houve um avançamos na prevenção, com estimulo a práticas de exercício físico, que é considerada como fundamental para a promoção da saúde. “A gente inaugurou duas Academias da Saúde e vamos entregar mais quatro. Também estamos investindo na ampliação dos polos do Saúde em Movimento, que garante atividades físicas no território”, disse.

Apontado com um dos principais programas de promoção de saúde no município, o Remédio em Casa virou Lei e tem trazido bons dividendos para a gestão, atendendo atualmente 9,5 mil pacientes hipertensos, com colesterol descompensado ou diabéticos, entregando em casa os medicamentos de uso continuo a cada três meses.

Em parceria com a secretaria de Educação e o Lafepe, a gestão criou ainda um programa que está chamando a tenção de outros municípios, o Olhar Paulista, também transformado em Lei Municipal, o programa já deu cobertura há mais de 9 mil alunos da rede pública, com exames oftalmológicos e entregou desde de sua criação em 2016, 922 óculos aos alunos com problemas na visão.
 
Ações voltadas para a área da saúde da mulher, onde a gente mudou todo o processo de exames citológicos, que tem demonstrado resultados positivos. “Vamos intensificar a oferta desses exames e investir em novos conceitos de atendimento”, ressaltou a secretária municipal de Saúde.

Um legado importante que a gestão deixa para outras gerações é a realização de um concurso público. Já foram convocados neste primeiro momento 205 servidores, mas a secretaria está finalizando o processo para convocar mais aprovados no concurso, totalizando 300 profissionais efetivos. “Vamos organizar os processos de trabalho e manter uma rede efetiva que vá perpetuar todo o trabalho no município. São profissionais que vão transferir seu acolhimento e seus processos de trabalho para os usuários do Paulista em outras gestões”, revelou Bernart.

Outro salto importante na melhoria da oferta de serviços na saúde foi o incrementamos do número de cotas para exames. “Sabemos que o número sempre vai ser insuficiente para a quantidade de usuários que acompanha uma ordem crescente. Mas a gente recentemente teve um incremento de mil cotas no número de exames na rede de saúde, passando para 3,8 mil”, disse a gestora da Saúde.

Quanto aos pontos que sua pasta deve priorizar para os próximos dois anos de mandato, Fabiana Bernart apontou o aumento no número de equipes de saúde da família, mesmo que seja bancado pelo município, para poder ampliar a cobertura de Atenção Básica nas áreas descobertas; investir na qualificação e ampliação dos sistemas de assistência farmacêutica; e implantar o sistema de ponto eletrônico para organizar o processo de trabalho, corrigindo as falhas e os desvios dentro do processo. 

Por fim, a gestora destacou a informatização de todo o sistema de trabalho dentro das equipes de saúde da família. “O prontuário vai ser único e eletrônico, garantindo o acesso do usuário às informações sobre sua situação. Como também a receita vai ser digitalizada, o usuário não vai ter dificuldade em ler, pois a receita será impressa. Isto também é uma forma de acolhimento adequada e mais humanizada. Vamos também implantar o ponto eletrônico dos servidores e até a chamada do paciente será em painel eletrônico. Tudo isso faz parte de uma organização e de uma normatização dos processos de trabalho. Isso fica como um legado a longo prazo para os usuários que se sentirão melhor acolhidos”, finalizou Fabiana.

Nenhum comentário