Header Ads

Secretaria do Trabalho cede espaço para primeira sede do Instituto Maria da Penha

A co-fundadora e vice-presidente do Instituto Maria da Penha, Regina Célia Almeida S. Barbosa, foi pega de surpresa, hoje, ao receber a notícia que a Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco vai ceder uma sala, no segundo andar do prédio, para acolher a sede do Instituto Maria da Penha em Pernambuco. Quem fez o anúncio foi o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, durante uma reunião do grupo de trabalho do projeto Tua Vez, uma sugestão que a Seteq recebeu da deputada estadual Gleide Ângelo para qualificar e empoderar mulheres vítimas de violência doméstica, cujo piloto será desenvolvido no Recife. A ideia é capacitar e preparar o público alvo para dois cenários: o trabalho com carteira assinada ou o empreendedorismo. 

Segundo o secretário, a transferência da sede pode ser feita assim que os procedimentos legais forem feitos e o segundo andar do prédio, que está desocupado, for reorganizado com uma pintura. “Quero parabenizar a vocês não só pelos 10 anos de atuação no Estado, mas pelo trabalho feito em Pernambuco e (agradecer) à deputada Gleide Ângelo, que é entusiasta desse Instituto e que fez a solicitação para a gente. Estamos cedendo uma sala para abrigar a sede do instituto”, destacou.   
Regina chorou de alegria. “Queremos agradecer ao secretário pela sensibilidade com a nossa causa.
O Instituto Maria da Penha faz 10 anos no Recife e ganhamos um presente. Através da deputada Gleide Ângelo, em parceria com a Secretaria de Trabalho, Emprego e Qualificação, ganhamos a sede do Instituto aqui em Pernambuco, onde vamos acolher as mulheres, dar formação. “Vamos realizar muitas de nossas ações e projetos que Maria da Penha sempre sonhou”, analisou. 

Ainda durante a reunião do projeto Tua Vez, o grupo de trabalho apontou os próximos passos. Entre eles, realizar, com apoio do Departamento da Mulher da Polícia Civil, um levantamento para saber qual tipo de curso de qualificação melhor se encaixa ao perfil do público alvo. No encontro, ainda, foram decididos outros critérios para selecionar as mulheres que vão ser qualificadas e como serão direcionadas para o mercado de trabalho. 

Nesse caso específico, de acordo com a deputada Gleide Ângelo, como o empoderamento das mulheres vítimas de violência depende da situação financeira, o esforço do grupo é se articular com empresas privadas para que elas possam ser contratadas pós-treinamento. “Precisamos do apoio de toda uma rede. Sozinho, ninguém faz”, declarou a deputada.

Além dos nomes citados, o encontro contou com a presença da delegada do Departamento da Mulher, Ana Elisa, da gestora Ana Rossini, da secretária executiva de Micro e Pequena Empresa, Adriana Queiroz, do secretário executivo de Qualificação, Álvaro Jordão, a coordenadora de Qualificação, Adynara Queiroz, e o coordenador do Fórum Estadual do Trabalho, Luís Gonzaga.   

Saiba mais – O Instituto Maria da Penha realiza projetos que buscam gerar a reflexão e promover mudanças nas atitudes dos cidadãos no que diz respeito à violência doméstica praticada contra mulheres. As iniciativas têm o objetivo de contribuir para a aplicação integral da Lei n. 11.340/2006, bem como de atuar no desenvolvimento de melhores práticas e políticas públicas para o seu cumprimento.

Nenhum comentário