Motivos para acreditar ou desconfiar do acesso do Santa Cruz

Foto: Silvia Morais/Especial para o NE10
O torcedor do Santa Cruz está absoluta e justamente confiante na volta para a Série B. Claro: o time venceu, fora de casa, o Betim e saiu na frente na vaga pelo acesso. Dentro de casa, no Arruda lotado, terá apenas de empatar o jogo para se classificar. Se perder por 1 x 0, ainda leva aos pênaltis. Mas, se há vários motivos para acreditar, também existem razões para manter-se atento. Confira, abaixo, uma lista de cinco motivos para crer - e cinco para desconfiar. Alguns deles, notem, são duas faces de uma mesma moeda. Acompanhe.


Para acreditar:
  •  Jogar em casa
Não há como imaginar que o Arruda não receberá 60.000 tricolores dispostos a incentivar o Santa Cruz do começo ao final do jogo. A torcida coral já costuma chegar junto e é conhecida como uma das mais fieis do país - imaginem, então, no jogo mais importante da equipe nos últimos sete anos? O clichê é válido: o estádio vai ficar pequeno. E o time de Vica terá uma peça importante para a vitória.
  •  Tem a vantagem
Jogar em casa com a pressão de reverter um resultado é perigoso. Com o passar do tempo, se o time não faz o gol, o relógio começa a correr mais rápido - e a pressão a tomar conta. O Santa Cruz, tendo vencido fora de casa, não precisa passar por isso. Claro que manter o empate até o fim será um jogo de nervos, mas a igualdade favorece a Cobra Coral.
  • Melhor campanha
Foram grupos diferentes, mas Santa Cruz e Betim se classificaram em situações opostas. O Tricolor garantiu vaga no mata-mata com uma rodada de antecedência. E, mesmo perdendo o último jogo, classificou-se como líder da chave A. O time mineiro, por outro lado, só chegou às quartas de final na última rodada. E na última posição do grupo. O retrospecto na competição, portanto, é também favorável à cobra coral.
  • Histórico nas últimas decisões
O Santa Cruz tem ido bem nas decisões. Descontado um ou outro tropeço - queda para o Penarol, por exemplo-, a Cobra Coral venceu ou mostrou bom futebol nas últimas partidas eliminatórias. O torcedor coral pode lembrar, por exemplo, as três finais seguidas diante do Sport, ou a vitória sobre o São Paulo no Arruda, pela Copa do Brasil.
  • Base forte
Há mudanças em algumas posições, mas uma parte do time tricolor está junto há um bom tempo. Jogadores como Tiago Cardoso, Éverton Sena, Renatinho, Natan, Dênis Marques, Caça-Rato, Tiago Costa, Sandro Manoel já estão no Santa Cruz há um bom tempo. Mais do que isso: eles formam um grupo vencedor. Não apenas pelos três estaduais em sequência, mas, também, pelo acesso à Série D (em que parte do elenco participou).

Para ligar o alerta:
  • "Já Ganhou"
É o grande adversário do Santa Cruz. Com tudo muito favorável, a equipe tricolor corre o risco de, inconscientemente, subir no salto alto diante do Betim. A torcida acredita muito, a imprensa aposta - mas o time não pode entrar no clima de "Já ganhou" e aceitar o "oba-oba". A soberba, bem sabemos, é o prenúncio do fracasso.
  • Vica
Aqui, cabe uma explicação. O técnico Vica é uma das partes mais importantes do time. Depois de sua chegada, o Santa Cruz cresceu muito e adquiriu uma forma de jogar. Entra na lista "negativa", no entanto, por ter se dado mal em uma situação semelhante no ano passado. Favorito com o Fortaleza, foi desclassificado pelo Oeste, dentro de casa. Há um alento, contudo: o treinador garante que aprendeu a lição e deve conter a euforia dos atletas.
  • Eliminações no Arruda
De um tempo para cá, como você viu nos motivos para acreditar, o Santa Cruz tem ido bem. Mas num passado não tão distante, as desclassificações no Arruda tornaram-se relativamente frequentes. Que torcedor não lembra, por exemplo, das eliminações diante de CSA e Central? Ou da derrota para o Fortaleza, pela Copa do Nordeste, ainda neste ano? É preciso ficar "de olho".
  • Bom retrospecto do Betim fora de casa
O Betim é um time perigoso longe de Minas Gerais. Não perde fora de casa há quatros jogos. Nesse período, foram dois empates e duas vitória. O detalhe é que os dois triunfos foram por um resultado que, se repetido no Arruda, eliminaria o Santa Cruz: 2 x 1 sobre Guarani e Caxias.
  • Vantagem perigosa
O 1 x 0 fora de casa , claro, foi ótimo para a Cobra Coral. Vencer nos domínios do adversário é sempre importante. O problema é que não dá  para "sentar" no resultado de ida. A vantagem é boa - mas não é enorme. Um triunfo simples do ex-Ipatinga e pronto... A decisão vai para os imprevisíveis pênaltis.

Fonte: Blog do Torcedor
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.