Header Ads

PUBLICIDADE

Encerrando o mês da Consciência Negra, Orla do Janga recebe a segunda edição do Saravá Paulista


Neste sábado (30.11), a Praça das Quatro Torres, na orla do Janga, foi palco de representação da cultura negra em Paulista. O Saravá Paulista chega em sua segunda edição reunindo todas as representações da música de raiz negra, como o rap, o reggae, o hip hop, o afoxé, entre outros.


Jeana Gênesis é co-organizadora do evento e destacou a importância do Saravá para o município. “Encerrando o mês da Consciência Negra, o segundo Savará Paulista vem para reafirmar a nossa cultura dentro de Paulista, visto que temos muitos movimentos culturais em nosso município e precisamos de espaços como este para que estejamos fincando nossas raízes”

Assim como Jeana, o Sacerdote da Jurema Sagrada e do Candomblé, e representante do Terreiro Casa das Matas dos Reis Malunguinhos de Olinda, Alexandre L’Omi L’Odò, também frisou a grandeza do evento para a cidade. “O Savará Paulista vem se consolidando como um dos mais importantes eventos da cultura negra e indígena do Paulista, pois aqui acontecem grandes apresentações. Então, o Saravá Paulista é um evento de grande proposta reflexiva, visto que é um evento que propõe o combate ao racismo, contra a intolerância religiosa, além de valorizar o público da cultura popular”.

O Saravá foi criado pela União dos Negros pela Igualdade em Pernambuco (UNEGRO-PE) e surgiu da necessidade de um evento em Paulista que viesse a combater o racismo e a intolerância religiosa. Nesta edição, o evento contou oficinas de turbante, e com a apresentação de Alexandre L’Omi L’Odò, que saudou a Jurema. O II Saravá Paulista também contou com a participação do grupo Vapor do Côco, do grupo Capoeira de Angola, da Várzea, do grupo de rap MNC, do grupo de dança Trocadilhos, além de DonaBagga e Grupo Cultulral Florescer.

A segunda edição do Saravá Paulista contou com o apoio da Prefeitura do Paulista, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura.

Nenhum comentário